© 2019 Olé Comunicação.

Siga a gente:

  • Olé Comunicação | Facebook
  • Olé Comunicação | Instagram
  • Olé Comunicação | Youtube
  • Olé Comunicação | LinkedIn
  • Olé Comunicação

O surgimento e avanço da radiologia como ferramenta de diagnóstico precoce de doenças

Atualizado: Jan 13


Atualmente, exames radiológicos (ou chamados de diagnóstico por imagem) são comuns na medicina, porém, não foi sempre assim. O surgimento desta especialidade médica aconteceu quando o físico alemão Wilhelm Conrad Roentgen colocou a mão de sua esposa no chassi, com filme fotográfico, fazendo incidir a radiação vinda do tubo. Tal feito, aconteceu em 8 de novembro de 1895 e, por isso, a data foi instituída como Dia Internacional da Radiologia e Dia Nacional do Médico Radiologista.


O físico chamou de “raio x” pelo fato de “x” representar algo desconhecido, indeterminado. A partir disso, a radiação ionizante, ou seja, os raios x, passaram a serem usados para obter imagens de estruturas e órgãos do corpo humano.


A radiologia convencional teve grande avanço nas últimas décadas, trazendo novos equipamentos e métodos de exames, como a ultrassonografia, a ressonância magnética, a mamografia e a tomografia computadorizada. O diagnóstico por imagem abrange várias subespecialidades, como neuroradiologia e as radiologias abdominal, músculoesquelética e pediátrica.


O médico especialista da área, Dr. Rogério Gonçalves de Campos Meirelles, da Vita.imagem, explica que na radiologia há também alguns exames que não utilizam radiação, como a ultrassonografia e a ressonância magnética. “Os raios x, ao interagirem com o corpo do paciente, podem resultar em alterações celulares, podendo ser um fator predisponente ao câncer. No entanto, essa exposição à radiação é reduzida por parâmetros técnicos durante o exame, diminuindo ao máximo possível o risco de alterações patológicas”, explica Dr. Rogério.


É importante ressaltar que o risco depende do tipo de exame e está relacionado à dose de exposição, que é maior nos exames tomográficos. O médico radiologista também explica que o controle da radiação também reduz drasticamente a chance de lesão direta dos raios x sobre o corpo do paciente, como nos casos de radiodermite, que hoje em dia são mais comuns nas radioterapias. Em todos os casos, os exames de imagem devem ser realizados somente com indicação médica. “Mesmo que seja para checkup é necessária orientação médica para saber qual exame é mais indicado, de acordo com a idade e condições clínicas do paciente”, conclui Dr. Rogério.

0 visualização