• Olé Comunicação

Mitos e Verdades do Câncer de Próstata

Atualizado: Jan 13


O câncer de próstata é o segundo com maior incidência no país e, de acordo com a Organização Mundial da Saúde (OMS), 27 milhões de novos casos surgirão até 2030. Por isso, a conscientização sobre a doença é importante, e a informação é o melhor caminho para desmistificar alguns pontos e chamar a atenção para outros. E para contribuir com o assunto, o Dr. Rogério Meirelles, da Vita.imagem, esclareceu alguns mitos e verdades que permeiam o câncer de próstata.


O câncer de próstata afeta somente homens idosos.

Mito. Apesar de ser mais comum com o aumento da idade, o câncer de próstata pode afetar homens de todas as faixas etárias, e até mesmo crianças (tipo histológico diferente dos adultos).


Ter alguém na família com câncer de próstata aumenta o risco de adquirir a doença.

Verdade. O histórico familiar e genético desempenha um papel importante no risco do indivíduo desenvolver este tipo de câncer. “Antecedentes de câncer de próstata na família aumentam o risco de aparecimento da doença, principalmente parentes de primeiro grau (pai e irmãos)”, afirma o médico.


O exame de PSA diagnostica o câncer de próstata.

Verdade em parte. Sobre isso, Dr. Rogério explica que o PSA pode diagnosticar o câncer, porém valores alterados do mesmo podem ocorrer em casos de infecção (prostatite), já que este exame mede os níveis do antígeno prostático específico da próstata, e não o câncer. “É fundamental avaliação clínica de um especialista, que pode associar o toque retal e o PSA”, pontua o médico.


Já existe outro exame que elimina a necessidade do toque retal.

Mito. De acordo com o médico, o PSA é um exame importante no auxílio do diagnóstico, porém é útil para detecção do câncer de próstata em estágio inicial. O PSA é mais eficaz quando aliado ao exame de toque juntamente com avaliação dos fatores de risco do paciente. “A ressonância magnética da próstata e a ultrassonografia transretal também são exames complementares”, afirma Dr. Rogério.


O câncer de próstata sempre apresenta sintomas.

Mito. Este tipo de câncer é um dos mais assintomáticos, ou seja, a maioria dos pacientes não apresenta sintomas, visto que a doença tem evolução silenciosa em seu estágio inicial. Segundo Dr. Rogério, apenas em estágio avançado o câncer de próstata pode causar dores ósseas, inclusive na coluna lombar.


A incidência da doença aumenta após os 50 anos de idade.

Verdade. O câncer de próstata tem maior incidência e mortalidade em indivíduos acima dos 50 anos.


O aumento da glândula prostática é um sinal do câncer de próstata.

Verdade em parte. “Entretanto, o aumento da glândula prostática pode estar relacionado a uma condição benigna, também frequente, conhecida com hiperplasia prostática benigna (HPB)”, explica Dr. Rogério.


O tratamento do câncer de próstata causa impotência.

Mito. De acordo com o médico, a impotência é uma complicação do tratamento cirúrgico, ocorrendo habitualmente em menos de 3%, segundo a maioria dos trabalhos.


O sedentarismo pode aumentar o risco para o desenvolvimento do câncer de próstata.

Verdade. A falta de atividades físicas pode acarretar alterações moleculares responsáveis pela gênese da neoplasia. “O sedentarismo, assim como em outros tipos de câncer, pode ser um dos fatores, mas não isoladamente”, pontua Dr. Rogério.


3 visualizações

© 2019 Olé Comunicação.

Siga a gente:

  • Olé Comunicação | Facebook
  • Olé Comunicação | Instagram
  • Olé Comunicação | Youtube
  • Olé Comunicação | LinkedIn