© 2019 Olé Comunicação.

Siga a gente:

  • Olé Comunicação | Facebook
  • Olé Comunicação | Instagram
  • Olé Comunicação | Youtube
  • Olé Comunicação | LinkedIn
  • Olé Comunicação

Implante dentário: saiba mais sobre esse tipo de prótese fixa


Entre as várias especialidades presentes na odontologia, a implantodontia talvez seja aquela que gera mais dúvidas aos pacientes, já que os implantes vêm se tornando comum entre os brasileiros. Segundo dados de 2018 da Associação Brasileira da Indústria Médica, Odontológica e Hospitalar (Abimo), cerca de 800 mil implantes são colocados por ano no país.


Mas, afinal, o que é um implante dentário? Para responder esta e outras perguntas, o mestre em odontologia e especialista em implantodontia, Dr. Robson Calvo Melo, da Class Ortoplan, esclarece um pouco mais sobre esse assunto.


O que é e como funciona

O implante dentário é um suporte fixo que substitui a raiz do dente que foi perdido através de um dispositivo metálico em forma de parafuso. De acordo com Dr. Robson, o implante, na realidade, é a parte que não é vista na boca; a parte que aparece é a coroa. Essa “raiz artificial” é feita a partir de titânio e, não sendo deste material, não há a união do metal com o tecido ósseo, etapa conhecida como osseointegração e que é fundamental para o sucesso do procedimento. “Atualmente, já são estudados outros metais para implantes, e há no mercado alguns de cerâmica, de coloração branca, que são mais utilizados para a estética dentária e têm alto valor”, explica o especialista.

Ainda de acordo com ele, as próteses sobre implantes apresentam capacidade mastigatória muito superior às obtidas através de próteses parciais removíveis ou dentaduras.


É importante ressaltar que há casos em que o implante dentário é contraindicado. Pacientes com algum problema sistêmico, como diabetes não controlada, ou que foram submetidos recentemente à radioterapia oncológica, ou ainda que têm problemas com anestesias, não são indicados para a realização de implante. “Aqueles que fazem uso de Alendronatos, fármaco muito utilizado para combater a osteoporose, também não podem realizar implantes nem extrações, pois há risco de necrose do osso onde estaria localizado o implante”, afirma Dr. Robson.


Implante sem corte

“O implante sem corte na realidade é uma técnica cirúrgica onde não há o uso de bisturis”, explica Dr. Robson. A única limitação é que o paciente tem que possuir uma grande quantidade de osso, e isso, é verificado no exame de tomografia.

O especialista ressalta que sem corte o pós-operatório é melhor e mais confortável para o paciente, além de ser mais rápido e eficiente. Porém, é importante destacar que não é uma técnica que pode ser realizada em todos os casos e que precisa ser bem planejada.


Cirurgia guiada

Para a realização do procedimento cirúrgico, é necessário um planejamento individualizado para cada paciente, e é através da Tomografia Computadorizada e do Escaneamento Oral que isso é possível. Dr. Robson pontua que a cirurgia é planejada no computador depois da análise desses exames. “Após o planejamento, fazemos guias cirúrgicas, que são colocadas na boca e, assim, já sabemos com 100% de exatidão onde será colocado o implante, podendo confeccionar a prótese definitiva sobre os implantes”, explica o especialista.

0 visualização